3 de nov de 2015

Por uma arte nas ruas e nos muros



Janilson Sales de Carvalho

                Há alguns anos, jovens artistas do grafite enfeitaram diversos muros da Cidade da Esperança com seus belos desenhos. A juventude os fazia superar todas as dificuldades materiais, o que importava era a arte aparecer para o público andarilho, mesmo que por pouco tempo. Entre esses artistas da rua figurava Ivan Cláudio, um jovem artista do bairro que morreu precocemente devido a uma doença congênita.   
                O tempo e o abandono apagaram as obras, restando agora muros mal pintados ou sujos. Sei que os proprietários não têm entre as prioridades o embelezamento dos muros,  mas, com certeza, não são avessos a uma obra de arte emoldurando as suas casas. Acredito que falta um debate sobre este assunto envolvendo o setor público. Sem exagero, incluo o grafite na saúde visual dos bairros. Quem não gosta de admirar, em seus trajetos rueiros, belas obras nos muros. O dia fica mais leve e a vida mais alegre.
Ano que vem teremos um ano eleitoral e a triste locação dos muros para nomes e números de políticos e partidos, principalmente nas periferias.  E o pior, após a política, vencendo ou perdendo, os candidatos abandonam aquela propaganda sem graça ao sabor do tempo e das intempéries, obrigando os transeuntes ao convívio com a poluição visual durante anos.
Precisamos de uma educação visual nos bairros que pode ser iniciada com a intensa produção de grafites, pelo menos nas ruas mais movimentadas. Vi esta semana a beleza que está desenhada no muro em frente à igreja católica da Cidade da Esperança. Encontrei nos meus arquivos um registro dos grafites anteriores e os mostro para simples recordação. Não precisamos comparar nada, mas ver que um muro com desenhos encanta nossos olhares,  pois nos atira no mundo das formas e das cores, apagando a sujeira e o vazio. 

Os artistas do grafite estão por aí, esperando o convite, o apoio e o muro. Nós estamos por aqui, desejosos de arte e de alegria. Precisamos encontrar mecanismos públicos e privados para que esse encontro com a arte aconteça. Todos ganham em saúde e alegria.